O FUNDAMENTALISMO RELIGIOSO: O USO DA INFORMAÇÃO E A CONTRAINFORMAÇÃO NUMA SOCIEDADE QUE VIVE EM REDES DE COMUNICAÇÃO

Rogério Xavier Neves

Resumo


A discussão sobre o fundamentalismo nos leva a pensar que existam uma infinidade de contornos para defini-lo. Neste texto, as reflexões partem do fundamentalismo religioso, consciente da complexidade e dificuldade da questão. A religião como um termo técnico sugere que é possível pensar em vários fatos de formas diferentes. O fundamentalismo religioso pode ter também distintos contornos e situações que nos fazem acreditar que há outros tantos  fundamentalismos que precisamos descobrir, discutir e ponderar conforme se  investigam as suas manifestações históricas. Entre a objetividade e a subjetividade da religião, discutir o fundamentalismo religioso em pleno século XXI é também pensar que a nossa incontestável situação de existência humana não esteja pautada simplesmente no plano físico, e que hoje enfrentamos uma realidade pautada em distâncias materiais estruturadas num mundo que vive em redes de comunicação.

Palavras-chave: Fundamentalismo, Religião, Informação, Comunicação.


Texto completo:

PDF

Referências


AGUILAR, Sérgio Luiz Cruz. Atentados de Paris. Revista Unesp Ciência. n.71, Fev. 2016 (Dossiê Paris)

AUGÈ, Marc. Não-lugares: introdução a uma Antropologia da Supermodernidade. São Paulo: Papirus, 1994 (Travessia do Século)

BORGES, Anselmo. Religião e diálogo inter-religioso. Coimbra – Portugal: Imprensa da Universidade de Coimbra, 2010. (Estado da Arte)

_______ Religião, religiões e diálogos inter-religiosos. Revista Portuguesa de História, n.40, 2008/2009. p. 07 – 44 Disponível em https://digitalis- dsp.uc.pt/bitstream/10316.2/11961/3/01%20-%20Anselmo%20Borges.pdf?ln=pt-pt

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede: a era da informação: economia, sociedade e cultura.

trad. Roneide Venancio Majer. v.1, 2.ed. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

DUPAS, Gilberto. Atores e poderes na nova ordem global: assimetrias, instabilidades e imperativos de legitimação, 2005.

_______ Ética e poder na sociedade da informação. 2.ed. São Paulo: Editora Unesp, 2000.

HOLLANDA. Sérgio Buarque de. Raízes do Brasil. 12.ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1978.

HOBSBAWN, Eric. Era dos extremos: o breve século XX (1914 – 1991). 2.ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

JOHNSON, J. DAVID. Gestão de redes de conhecimento. Trad. Janaína Marcoantonio. São Paulo: Editora Senac. 2011.




DOI: http://dx.doi.org/10.32459/revistalumen.v1i2.34

Apontamentos

  • Não há apontamentos.